Plataforma Segura A Onda

Plataforma reúne iniciativas cidadãs que trabalham para conter os impactos da pandemia do coronavírus no Brasil.

Nas primeiras semanas desde os primeiros casos de contágio do coronavírus, uma série de iniciativas cidadãs de solidariedade surgiram espontaneamente para combater os impactos da pandemia. Em momentos de crise, a solidariedade e a criatividade aparecem como resposta para soluções dos mais diversos problemas. Pensando em consolidar uma plataforma que reúna, divulgue e multiplique essas iniciativas, um grupo de voluntários criou o Segura a Onda.

A iniciativa originou-se na Espanha com a plataforma frenalacurva.net. Devido ao seu sucesso, ela está sendo replicada em outros países além do Brasil como Colômbia, México, Costa Rica, França, Equador e Uruguai.

O grupo entende que nesses momentos de crise a responsabilidade cidadã apresenta-se como alternativa para resolução de problemas complexos e as iniciativas cidadãs podem dar respostas rápidas e eficientes.

Luis Eduardo Tavares, cientista social e pesquisador, um dos co-criadores da plataforma conta que nos primeiros dias de qurentena percebeu que estávamos diante de um aconecimento gerador de múltiplos e profundos efeitos sociais. E para lidar com eles, precisávamos de ações coletivas coordenadas para frear a propagação do vírus e superarmos a pandemia.

O processo de construção coletiva fluiu super bem e trabalhar nele, assim como conhecer tantas pessoas engajadas nas mais diversas iniciativas de enfrentamento a essa crise também é algo que ajuda a manter a mente sã durante esse período de confinamento e diante das tragédias diárias,

disse Luis Eduardo Tavares.

Podemos ter em vista que a força cooperativa de todas essas redes de solidariedade que se auto-organizam na sociedade civil signifiquem valiosas lições civilizatórias tiradas dessa catástrofe e que fortaleçam a consciência e importância dos bens comuns,

afirma Luis Eduardo Tavares, co-criador da plataforma.

A internet como respiro para liberdade e cooperação

Cátia Kitahara, 46, designer de interface especialista em WordPress conta que utilizou sua experiência profissional de mais de dez anos para colocar o site em poucos dias no ar.

O site nada mais é que um fórum old school bem no estilo da época em que a internet ainda era aberta e livre, quando iniciativas como essa pipocavam e as pessoas se apropriavam mais das ferramentas ao invés de se submeterem aos formatos impostos pelas redes sociais que hoje “substituem” a internet,

comentou a designer.

Ela conta também que fazia tempo que não participava de uma iniciativa como essa, totalmente colaborativa e orgânica.

Somos uma rede de pessoas que colocaram-se à disposição para trabalharem juntas sem nunca terem se conhecido. Uma equipe forte se criou rapidamente e logo começamos a trabalhar como se já nos conhecêssemos. Isso é muito bom porque dá um alento e torna a situação atual mais suportável,

disse Cátia Kitahara.

A plataforma funciona como um guia onde qualquer um pode adicionar iniciativas ou ações de sua cidade ou bairro dentro dos seguintes temas: fontes confiáveis; informação confiável; cuidados; quarentena; educação; cultura; trabalho e renda; redes de consumo; ciência aberta; populações ameaçadas; redes de solidariedade; gênero; e moradia e aluguel.

Para participar, o usuário deve registrar-se no site com um endereço de email e senha e seguir o manual de uso. Existe uma equipe de moderadores voluntários que está acompanhando todas as postagens e fazendo a curadoria do conteúdo. Caso você queira ser um moderador, envie um email para: contato@seguraaonda.com.br

Acesse o site e faça parte dessa rede de colaboradores. Ajude-nos a dar uma resposta coletiva pensando, sobretudo, nas parcelas da população em piores condições nesse momento.

Serviço:
Site: https://seguraaonda.com.br
Manual do site: https://seguraaonda.com.br/
Contato: contato@seguraaonda.com.br

Share